Escritor e Poeta Jean C. de Andrade

terça-feira, 25 de julho de 2017

Quando você se entrega demais...


Acho que todos já se sentiram assim em algum momento, ás vezes nos entregamos demais, amamos sem limites, confiamos cegamente em outra pessoa. Sim, é mais natural do que se imagina, entregar-se livremente ao outro (a) sem medo, sem desconfiança. 

Ás vezes o nosso sentimento se torna exagerado, talvez até inoportuno, mas é um sentimento verdadeiro e sendo assim, esperamos que seja correspondido. 

O que muito acontece é exatamente o contrário, isto é o que mais se torna razão para as lágrimas, razão que gera uma decepção. Se entregar ao outro (a) inteiramente e não receber de volta a mesma entrega, triste é este sentimento, algo que acontece em romances, algo que se descobre em casamento. 

Quem nunca se entregou? 

É uma pergunta que seria respondida quase que imediatamente, pois todos nós com certeza já passamos por isso algum dia, confiar em alguém, um amigo, um amor, uma paixão... 

Confiar e não ser correspondido (a), ser traído (a) . 

Ter amizade por alguém, que de tão intensa, sentir a falta em todos os momentos,  a falta de um abraço ou mesmo uma simples conversa, um desabafo, algo que no momento que com a pessoa se encontra, quer logo abraça-la, mas ela não sente por você o mesmo, ela não se importa, o abraço não é recíproco. 

Qual a razão deste sentimento unitário, só? 

Talvez seja a nossa ingenuidade, nosso sentimentalismo, nossa facilidade em amar demais! 

Por isso muitos dizem que amigos podemos contar nos dedos da mão, pois a confiança e a liberdade em se expressar ao próximo sem medo, requer uma confiança que poucos possuem.


(Jean C. de Andrade) 


Conheça um pouco mais dos trabalhos deste autor aqui:  https://www.clubedeautores.com.br/authors/11605