Escritor e Poeta Jean C. de Andrade

domingo, 29 de julho de 2012

Os Direitos de um Estradeiro

Esta semana fiquei preso na Greve dos Caminhoneiros, então aqui vai meu desabafo aos governantes:

 Os Direitos de um Estradeiro

Caminhoneiros  em greve tomam conta de estradas e Rodovias por todo Brasil.Estou entre eles parado na Rodovia esperando o resultado de uma negociação tensa com integrantes do Governo.Caminhoneiros reivindicam uma melhor avaliação na lei de horários reduzidos para viagens,também lutam contra o aumento dos pedágios e do óleo diesel. Estou de acordo em parte com esta negociação, porém não concordo com o método de paralisação imposta pelos grevistas membros do sindicato dos caminhoneiros, não acho certo como se desenrola a atual greve que não permite que automóveis ,ônibus e vans continuem sua viagem,também com a violência praticada contra os próprios companheiros de profissão.
Deve-se respeitar o direito de ir e vir de cada um, não se pode forçar uma paralisação mediante violência.
No Brasil infelizmente para que se tenha alguma atenção é preciso que se cause alguns problemas para que a mídia se interesse pelo assunto e assim tenha destaque em jornais televisivos e consequentemente chegue ao conhecimento do governo .
Infelizmente as leis são criadas por autoridades que não possuem conhecimento algum das dificuldades do caminhoneiro ,de seu trabalho e de seu dia a dia.
Estou de acordo com a intenção desta lei de horários reduzidos e de paradas programadas para descanso,porém é preciso que se tenha estrutura para que o caminhoneiro pare e tenha segurança ,é preciso se criar áreas de descanso que sejam modernas e ofereçam tranquilidade ao caminhoneiro.Pontos de paradas decentes com segurança,bons chuveiros e banheiros como também áreas para alimentação. Isto tudo ao contrário do Brasil, já existe nos EUA e na Europa, aqui nem perto esta estrutura passa, senhores governantes.
As altas tarifas de pedágio precisam abaixar, o diesel também, pois está muito caro para o autônomo caminhoneiro, o frete está parecendo brincadeira de mau gosto, está defasado á muitos anos sem que se tenham perspectivas de melhora, é preciso que seja reformulado urgentemente com um aumento significativo para que o estradeiro possa trabalhar com dignidade.
É preciso ter estrutura para o bem estar do caminhoneiro que leva literalmente o progresso e o alimento da nação nas costas.
O Caminhoneiro só quer ser respeitado e reconhecido pelo seu trabalho, ter seu pagamento justo por um trabalho bem feito.Não ser explorado pelo governo que é justamente o que mais acontece na atualidade.
A Malha viária do Brasil está em péssimas condições,não há qualidade ao contrário das cabines de pedágios que são modernas e aumentam á todo instante cobrando um absurdo em várias Rodovias.
O autônomo é o que mais sofre, tendo em suas costas a prestação de seu caminhão vencendo e tendo ele que dividir sua renda entre alimentação,o bem estar de sua família com estudos de filhos ,com gastos mecânicos,incluindo o óleo diesel e pedágios exorbitantes, ainda por cima correndo todo tipo de perigos nas estradas onde não existe segurança.
O Caminhoneiro está pedindo ajuda, pedindo socorro. Como faz parte de uma Classe que não tem muitos direitos, precisa se fazer notar, daí se nasce a tal Greve que acaba por criar um tumulto nas Rodovias. Não se justifica é claro a violência, porém é preciso um bom senso e boa vontade por parte dos governantes.
Senhores do Governo, não dêem as costas para nós estradeiros, nos ajudem a conquistar nossos direitos, segurança, menos gastos e também termos um frete justo. Pois tudo que você tem hoje na sua mão, foi trazido por um caminhão.

O Caminhoneiro Escritor Jean C. de Andrade.