Escritor e Poeta Jean C. de Andrade

sábado, 17 de março de 2012

Sentimento de Emoção - Trecho do Livro Vida de Caminhoneiro

XLVII

SENTIMENTO DE EMOÇÃO

  O que é emoção? É um sentimento que sai do coração, que nos causa arrepio e orgulho de estar fazendo uma coisa de que gostamos muito. Qual caminhoneiro não sentiu adrenalina de estar no comando de um caminhão, ou até maior, uma carreta bi trem?

             Acelerar pelas estradas e rodovias ultrapassando fronteiras, visitando capitais importantes de todo Brasil. Sendo muitas vezes admirados pelas pessoas que observam aquele caminhão ou carreta toda equipada, desfilando sua beleza com muita pressão por onde passa.

             Quando estou ao volante, sim, não me envergonho de falar que me sinto muito importante, mas não é uma importância de estar aumentando o meu ego, mas sim de estar sendo útil para o crescimento de um país inteiro, pois tudo que transportamos será utilizado para construções, alimentação, diversão e talvez até salve a vida de alguém que, com certeza.

             Emoção de acelerar o carrão cada vez mais pelas rodovias, transportando todo tipo de cargas, conhecendo pessoas e culturas diferentes.

            Cidades em que passei, lembranças, com certeza, eu deixei, amigos novos eu conheci, sotaques diferentes eu conversei. Acelero meu caminhão e ultrapasso outros caminhões. E que emoções sinto em poder dar aquele toque na buzina a ar, fazendo aquele barulho como quem diz, “olha eu aqui”!

             Muito legal é esta vida de estradeiros, emoções de alegria eu sempre tive com os demais caminhoneiros, mas também emoções de tristeza por amigos que perdi e de pessoas que nunca conheci, mas que presenciei ao fim de sua vida.

             Emoções pela fé que o caminhoneiro tem que, mesmo por mais festeiro e danado que seja nunca se esquece de DEUS, e sempre tem tempo para fazer uma prece por ele e por todos seus companheiros de profissão.

  Emoção ao lembrar de sua família, esposa e filhos, que quase sempre fica em casa com um tercinho nas mãos, fazendo para o marido e papai uma linda oração.

  Qual caminhoneiro, por mais bruto que seja, nunca teve seus olhos marejados, quando se lembra de sua esposa e filhos que ficaram em casa?

  Viajar é preciso, eu li em um pára-choque. Viajo porque preciso, voltei porque te amo. Li em outro.

  Não fique surpreso ao saber que o caminhoneiro tem estas emoções, ora! Ele também é um ser humano igual a todo mundo, que chora que tem saudades e que, principalmente, também ama.

            Diga-me qual caminhoneiro não carrega consigo uma foto de sua filhinha ou filhinho e põe-na no painel de seu caminhão, ao lado da imagem de alguma santinha?

              Conheço vários assim e isso faz parte do sentimento, da emoção, emoção de ser um estradeiro que sofre muito em seu dia a dia com a falta de reconhecimento com sua profissão, mas que se esquece de todas as humilhações e dificuldades que já passou em suas viagens, mas quando chega em casa e sua família vem correndo lhe abraçar.

            O abraço carinhoso é o combustível que abastece o coração desse herói que nunca se cansa, e após esse abastecimento lá se vai ele novamente para as estradas, pois viajar é preciso, mas quando seu combustível de emoção estiver se acabando, ele com certeza vai voltar.

Trecho do Livro "Vida de Caminhoneiro" - Autor - Jean Carlos de Andrade -