Escritor e Poeta Jean C. de Andrade

domingo, 22 de agosto de 2010

PALAVRAS DO PROFESSOR


PALAVRAS DO PROFESSOR


A capoeira no meu entender se tornou uma luta sagrada, que requer todo respeito e admiração de todos nós capoeiristas ou mesmo leigos no assunto.
Mas porque insisto em respeito, em magia, em algo sagrado ou mesmo filosófico?
Ora, a capoeira nasceu em um momento crítico de nosso país, pessoas eram tratadas como escravos eram humilhados e maltratados á todo momento como se não fossem seres humanos. Isto me deixa muito triste e envergonhado de ser descendente destas pessoas que achavam isto normal.
Mas o negro superou tudo isto com muita luta e com muita garra, criou uma luta fantástica que se tornou um símbolo de vitória, e é por isso que requer todo respeito e admiração para elevar a memória destes guerreiros que lutaram pra se libertar.
Hoje quando sou convidado para algum evento de capoeira ou mesmo um batizado, acabo ficando muito triste com o que vejo.
Vejo pessoas nas rodas de capoeira em um desrespeito sem fim, alunos não respeitam os Mestres nem os professores, ao redor da roda, todos ficam em pé, impedindo a visão das pessoas que vão para assistir ao evento, quando o normal e certo é ficar sentado á espera de sua vez,que com muita educação com certeza chegará.
Capoeiristas sem nenhuma noção entram na roda por qualquer lado furando fila a todo o momento, e todos ainda em pé escondem o que deveria ser o mais sagrado, que é o som com seus instrumentos.
Fazem a parada de angola de costas para o mais sagrado e não sabem nem o que estão fazendo naquele momento, o jogo de capoeira se torna derrepente uma luta louca chegando perto de uma pancadaria, sem nenhum motivo, só se vê acrobacias de um lado á outro e não se vê a beleza de uma ginga que é o começo de tudo.
Os alunos, são na maioria das vezes crianças, que estão ansiosos por receber o tão esperado cordão verde ou amarelo, se tremem de medo e às vezes nem querem entrar na roda, pois estão vendo a maluquice de um professor ou mesmo de um Mestre sem noção que ali está.
Pior ainda é quando se espelham nestes professores e Mestres, e continuam seus ensinamentos sem noção alguma da verdadeira arte da capoeira.
O batizado é a festa do aluno que receberá sua primeira graduação com muita felicidade e espera, é um momento de festa com padrinhos e parentes que estarão acompanhando este evento com todo carinho e alegria, professores e Mestres não devem roubar esta sena, pois a festa é do aluno, o que vejo são loucuras e perigos até de se machucar algum aluno que não tem a mesma rapidez, e quando um aluno que é um pouco mais forte e talvez até bem ágil, se torna o alvo de alguns professores e Mestres que querem aparecer para o público presente.
Vira uma pancadaria, pois se não consegue derrubar na manha, será derrubado na pancada, isto é causa de tristeza em batizados que já participei.
Pais de alunos que presenciam isto tudo, com toda razão tiram seus filhos por medo de se machucarem neste esporte que parece violento por causa de alguns sem noção.
Não quero aqui ser o dono da verdade, nem pretendo, somente quero que se melhorem os ensinamentos desta linda luta, quero que se respeite a tradição e a memória de Mestres antigos, quero que os alunos voltem á ter respeito por seus Mestres e professores, pois as cores das graduações revelam seu grau de conhecimento e autoridade, algumas academias dizem que o aluno que conseguir derrubar seu professor receberá a graduação,isto é um absurdo digo e afirmo, é o começo do desrespeito ao professor, pois o aluno fará seu treinamento com o intuito de derrubar seu Mestre para sim dizer que é o bom, e um dia como já vi e presenciei, o aluno expulsará seu Mestre e Professor de sua própria academia.
Dito tudo isto faço um apelo para que ensinemos esta arte tão linda com sabedoria e carinho, não esquecendo sua filosofia e malicia sua tradição e história, ensinemos com muito respeito, a arte que negros escravos pagaram com a vida para que esta luta sobrevivesse aos tempos.
Eu sou o professor Jean Carlos de Andrade formado de Mestre Roque José dos Santos, da ACD. Santa Isabel de Bom Repouso MG.